Saúde
ALTA COMPLEXIDADE: Governo realiza trabalho no atendimento a casos de câncer 05/10/2016 às 17:58:16

A assistência oncológica estadual envolve os Unacons e Cacons, além dos caminhões de mamografia que circulam pelo estado

 

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) realiza amplo trabalho de assistência aos casos de câncer na Rede Estadual de Assistência Oncológica no estado por meio das Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), e dos Centros de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon).

 

De acordo com a Portaria nº 874, de 16 de maio de 2013, os Unacons são unidades hospitalares que realizam o diagnóstico definitivo e o tratamento dos cânceres da região de saúde onde está inserido.

 

Os Cacons, também de acordo com a portaria, são unidades hospitalares que funcionam aos moldes dos Unacons, mas realizam a assistência aos tipos de câncer mais prevalentes, mas não obrigatoriamente dos cânceres raros e infantis.

 

A rede de atendimento é estruturada dentro das Unidades Prestadoras de Serviços (UPS), definidos pelos parâmetros do Ministério da Saúde.

 

Os Caminhões de Mamografia também estão na ponta dos atendimentos do Governo de Minas Gerais em todo estado. Os diagnósticos, realizados pelos caminhões, que precisam de tratamentosão direcionados aos Unacons e Cacons.

 

"O modelo de rede de assistência ao câncer coloca no centro da discussão a importância da organização dos territórios, onde os municípios devem ter toda a assistência para prevenção, diagnóstico e tratamento para todas as mulheres que necessitem do atendimento"

 

Márcia Dayrel, diretora da Rede de Atenção às Doenças Crônicas da Secretaria de Estado de Saúde

 

De acordo com a coordenação da Rede de Atenção às Doenças Crônicas, da SES-MG, a rede de atendimento ao câncer é direcionada aos tratamentos oncológicos mais prevalentes no país: como mama, próstata, colo do útero, estômago, cólon e reto.

 

Recursos para a assistência especializada

 

As unidades possuem condições técnicas, instalações físicas, equipamentos e recursos humanos adequados à prestação de assistência especializada em alta complexidade. Estas unidades hospitalares podem ter em sua estrutura física a assistência radioterápica ou referenciar os pacientes que necessitam desta modalidade terapêutica.

 

Cada estabelecimento de saúde habilitado como Cacon e Unacon que tenha como responsabilidade uma população de 500 mil habitantes ou 900 casos novos de câncer por ano (ou seus múltiplos a mais). Além disso, com exceção do câncer não melanótico de pele, a unidade deve observar os parâmetros mínimos de produção anual de exames, relacionados às seguintes modalidades de tratamento do câncer: 650 procedimentos de cirurgia de câncer; 5.300 procedimentos de quimioterapia; e 43 mil campos de radioterapia, por equipamento(s) instalado(s).

Clique aqui e confira os serviços de atendimento na capital e no interior de Minas Gerais.

 

Caminhão de Mamografia

Com o objetivo atender os vazios assistências, ou seja, onde há pouco acesso das usuárias a este exame e para possível detecção precoce da neoplasia mamária, bem como garantir o fornecimento regular do exame a todas as mulheres, o Estado conta com oito unidades móveis de mamografia, que atendem em média 260 municípios por ano.

 

Vale lembrar que o diagnóstico precoce é a maior chance de cura. Cada unidade móvel é equipada com um aparelho de mamógrafo e duas técnicas em radiologia para realização do exame e realiza cerca de 1.000 exames mensais.

 

Os resultados são enviados via correios, no prazo aproximado de 20 dias para as Secretarias Municipais de Saúde. O município, então, deverá encaminhar as pacientes com mamografias alteradas para a realização de exames para definição diagnóstica nos Serviços de Atenção Especializada. Se confirmada a suspeita de câncer, a paciente deverá ser encaminhada para um dos 32 Cacons/Unacons de referência para o município.





SEM BANNERS NESTE LOCAL!