Política
CHÁ NO BULE: Semana de 28 de agosto a 3 de setembro 31/08/2014 às 22:44:18

Política partidária

Vereadores reprovam pedido de crédito suplementar da Prefeitura de Santo Antônio do Rio Abaixo. O município que deixou de usufluir do ‘bum’ na economia, após conclusão das obras do mineroduto, da Anglo American,  agora perde oportunidade de aquecer as vendas e promover o turismo graças a postura da Câmara, que rejeitou pedido de suplementação orçamentária de R$ 200 mil para a Prefeitura realizar XX Cavalgada, em setembro próximo.

Política partidária II

Na verdade, a postura injustificável dos vereadores deixa transparecer que é mais saboroso tentar promover o retrocesso de uma cidade, e consequentemente de seu governo, do que legislar em função do povo. Não somente pelas festas, mas pela criação de divisas culturais, sociais e econômicas proporcionadas por uma exemplar cavalgada, como foi em 2013, quando a cidade assistiu e participou de uma das melhores cavalgadas da história santantonense. 

Política partidária III

E não é só isso. Vale destacar a postura da prefeita da cidade, que ‘deu a cara a tapa’ e foi à sessão extraordinária da Câmara, na noite do dia 25, para esclarecer o motivo do pedido de suplementação. Sem argumentos consistentes e sem dar a mínima atenção ao público presente, a maioria dos representantes do povo votaram contra a Cavalgada e full stop.

Comerciantes visionários

Os comerciantes com empreendimentos em Morro do Pilar mostram que são audaciosos se o assunto é investimento. Por lá, eles adotaram a postura de sair na frente e assumir compromissos para atender as necessidades da cidade que está prestes a abrigar o projeto de mineração da Manabi e suas empreiteiras. É a esperança de tempos melhores movendo pessoas otimistas.

Seminário do TCU

Pelo menos nove prefeitos da região estiveram no teatro da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade, em Itabira, na tarde da última quinta, 14, para assistirem o seminário Cidades Empreendedoras e Sustentabilidade – O desenvolvimento econômico e social induzido pelas compras públicas e pelos pequenos negócios. Os palestrantes foram o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler e o vice-presidente do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) Sebastião Helvécio. O seminário reuniu ainda vereadores, secretários, empresários, representantes da Vale e de diversas instituições.

TCE aplica mais multas

Na micro região, estão na lista suja do Tribunal de Contas do Estado (TCE) os presidentes de Câmaras de Vereadores das cidades de Dom Joaquim, Cláudio Márcio Pires Madureira, Ferros, Fernando Antônio Martins Lage e Bela Vista de Minas, Gerci Armelindo Evangelista que foram multados em R$ 2 mil por não enviarem dentro do prazo o Relatório de Gestão Fiscal (RGF) bimestral.

Além dos presidentes de Câmara, foram autuados também prefeitos, com multas que variam de R$ 4 a R$ 6 mil. Entre eles, neste 2º semestre, estão o prefeito de Guanhães, Geraldo José Pereira e o de Bela Vista de Minas, Wilber José de Souza, multado em R$ 4 mil.

Em junho deste ano, o destaque da lista foi o prefeito de Itambé do Mato Dentro, José Elísio, que teve que pagar multa de R$ 4 mil por atropelar as determinações do TCE.

Prestígio

Sinônimo de prestígio a visita do deputado estadual e presidente da Assembleia de Minas Dinis Pinheiro à cidade de Santo Antônio do Rio abaixo. O político, que concorre ao cargo de vice-governador de Minas ao lado de Pimenta da Veiga, pousou na cidade com menos de mil eleitores na segunda, 25, por volta das 12h. Dinis fez caminhada pelas ruas da cidade. Após um rápido ‘café político’, o deputado seguiu viagem.

Prejuízo

A Vale já está sendo questionada devido a substituição dos dormentes de madeira por chapas de aço para sustentar sua linha férrea. Segundo um morador de Nova Era, que tem casa próxima a linha, após a substituição da madeira por aço, os impactos aumentaram consideravelmente e sua casa já apresenta rachaduras. Em outras cidades onde a substituição também já aconteceu, pessoas que residem próximas a linha férrea também apontam o aumento de vibração durante a passagem das composições com minério.

Aeroporto

Mistério em volta do aeroporto regional, entre as cidades de Itabira e São Gonçalo do Rio Abaixo.

A última informação, publicada em um site de Itabira, passada pelo secretário de Estado de Obras Públicas de Minas Gerais, Fabrício Torres Sampaio, é de que com o recuo do Governo de Minas, que suspendeu verbas para o projeto, orçado em R$ 5 milhões, por meio o BDMG, teria assumido o investimento a Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo. O problema é que até então a informação não foi oficializada por quem ‘teria’ assumido o abacaxi. 





SEM BANNERS NESTE LOCAL!